Ela vai sem fralda, senhores. E agora?

Não é fácil. De todo. Mas é fazível. Perfeitamente. Afinal de contas nenhum de nós vai para a faculdade a fazer xixi nas cuecas. Certo? Por isso, força! Coragem. Determinação. Preserverança e… boa sorte!

Os 2 anos da Leonor

Já são 2 anos sim! 2 maravilhosos anos com este doce de menina! Não me podia ter “calhado” melhor filha, de facto, mas eu mereço! A Leonor é atrevida, divertida, meiga, simpática, curiosa. É um vulcão em constante erupção! Gosta de brincar, dançar, cantar. Gosta de falar, de rir, de imitar, de fazer drama. Tem…

A quatro meses dos 2 anos… as birras

Tal como se previa, as birrinhas por tudo e por nada já chegaram a esta santa casa. Outra coisa não seria sequer de esperar de uma criança com tanta atitude, muita inteligência, extremamente atenta, observadora e destemida. É assim a minha filha. Parece não ter medo de nada, ou de quase nada, com excepção de… estranhos,…

Quando a paciência (quase) se esgota. O que fazemos?

Culpado. Assumo-o sem quaisquer rodeios ou eufemismos para mascarar a minha incapacidade. Há dias assim. Em que a paciência se vai. Esvanece-se. Some-se. Para onde é que não consigo bem perceber. Mas vai-se e esvai-se. Perde-se algures pelo meio do caminho vertiginoso que compõe o crescimento saudável de uma criança. E depois fica a culpa. Mas…

Quando eles vêm mordidos para casa. O que há a fazer?

(Este texto foi escrito a quatro mãos) Pois é. Está a acontecer. Aliás. Para que tenham uma ideia, em mais ou menos 2 meses aconteceu quatro vezes, ou seja, em mais ou menos dois meses a Leonor trouxe 4 dentadas bem marcadinhas para casa. Sim. É terrível. É doloroso. Parece que nos morderam a nós….

Passear sem a mamã… é um “exercício de coragem”

Alerta: Este texto é para os papás e para que as mamãs se deleitem com o reconhecimento público da vossa grandeza e superioridade. Não pensem, no entanto, que me tenho em pouca conta, mas a verdade é que a minha mulher é, em quase tudo, mais competente, eficaz, capaz e desembaraçada do que eu. Porquê?…

Os médicos e as suas (reduzidas) capacidades de comunicação

O texto de hoje é inteiramente parcial e remeter-vos-à para uma ligeira indignação, totalmente justificada e fundamentada, mas muito própria de pais de primeira viagem. Isto é, inseguros, inexperientes, cautelosos e assustados q.b. Ora então vejamos: A tarde da última segunda-feira foi passada por inteiro no Hospital da Luz, em Lisboa. Calma, está tudo bem….

Amor de pai também é único, se é, minha querida filha

Está a crescer. Está a crescer tremenda e exponencialmente. Está a crescer de de uma forma que me esmaga e me faz engasgar quando nela penso, quando nela falo, ou quando simplesmente não estou a fazer nenhuma das coisas. Este sentimento cresce proporcionalmente à razão de tantos sentimentos novos descobertos na vertigem de cada dia…

O (terrível) choro da minha filha…

É oficial… ela chega hoje (dia 21/06) aos 30 dias de vida, ou seja, faz hoje 1 mês e a felicidade que sentimos é tremenda, avassaladora, incomparável. Mas é que é mesmo…!! Só que… aquele choro, Deus meu, aquele choro dá conta de nós… mas já lá vamos.Se pensaram (por breves momentos) que estes (quase)…