Quando a paciência (quase) se esgota. O que fazemos?

Culpado. Assumo-o sem quaisquer rodeios ou eufemismos para mascarar a minha incapacidade. Há dias assim. Em que a paciência se vai. Esvanece-se. Some-se. Para onde é que não consigo bem perceber. Mas vai-se e esvai-se. Perde-se algures pelo meio do caminho vertiginoso que compõe o crescimento saudável de uma criança. E depois fica a culpa. Mas…

Quando eles vêm mordidos para casa. O que há a fazer?

(Este texto foi escrito a quatro mãos) Pois é. Está a acontecer. Aliás. Para que tenham uma ideia, em mais ou menos 2 meses aconteceu quatro vezes, ou seja, em mais ou menos dois meses a Leonor trouxe 4 dentadas bem marcadinhas para casa. Sim. É terrível. É doloroso. Parece que nos morderam a nós….

Se os Homens não choram, o que é que isso faz de mim?

Um Homem não chora por dá cá aquela palha. Aliás um Homem não chora por porra de razão nenhuma. Não tem sequer direito a ter esse direito. O direito a ser sensível ao que o rodeia, a ser parte da vida que o envolve. Mas onde é que estamos afinal? Onde irá parar este mundo se…

Ela está a querer andar e é um regalo para os olhos

Se é. A uma semana de fazer 11 meses a pequenina já mostra – e de que maneira – interesse constante por estar de pé, agarrada à sua motinha. Compreendo que isto não tenha grande motivo de interesse, é certo. Mas Domingo foi um daqueles dias em que ela resolveu introduzir uma variante na brincadeira….

Passear sem a mamã… é um “exercício de coragem”

Alerta: Este texto é para os papás e para que as mamãs se deleitem com o reconhecimento público da vossa grandeza e superioridade. Não pensem, no entanto, que me tenho em pouca conta, mas a verdade é que a minha mulher é, em quase tudo, mais competente, eficaz, capaz e desembaraçada do que eu. Porquê?…

Sim, sou pai há quase 9 meses e já me zanguei com a minha filha…

… mas lidar com o que vem depois não é fácil. Não é, de todo. Há momentos em que perdemos a paciência e nos deixamos levar por impulsos de intolerância que, regra geral, nem sequer sabemos porque acontecem de determinada forma. A muitos de nós interessa, porventura, encontrar a razão pela qual não fomos capazes…

Os médicos e as suas (reduzidas) capacidades de comunicação

O texto de hoje é inteiramente parcial e remeter-vos-à para uma ligeira indignação, totalmente justificada e fundamentada, mas muito própria de pais de primeira viagem. Isto é, inseguros, inexperientes, cautelosos e assustados q.b. Ora então vejamos: A tarde da última segunda-feira foi passada por inteiro no Hospital da Luz, em Lisboa. Calma, está tudo bem….

Amor de pai também é único, se é, minha querida filha

Está a crescer. Está a crescer tremenda e exponencialmente. Está a crescer de de uma forma que me esmaga e me faz engasgar quando nela penso, quando nela falo, ou quando simplesmente não estou a fazer nenhuma das coisas. Este sentimento cresce proporcionalmente à razão de tantos sentimentos novos descobertos na vertigem de cada dia…