A boa vontade dos desconhecidos que faz do Mundo um lugar melhor

Manhã de Domingo, de sol, brilhante como se quer uma manhã de Domingo de ☀️, de Primavera. Alva. Meiga. Linda. O dia arranca quase bem. Sim, quase bem. Vou buscar a Leonor à cama dela e trago-a para junto de nós. Como acontece todos os dias. E ela ali fica, entre nós, entre o dormitanço…

A alegria incomparável de ver crescer uma criança

Aos quase 35 anos de vida posso perfeitamente afirmar que ver crescer a minha filha é um prazer absoluto e o maior regalo dos meus dias. É de facto uma alegria incomparável esta a de ver crescer uma criança. A minha. Vê-la conquistar pequenas vitórias diariamente. Assistir ao desbravar do mundo. À superação dos pequenos…

A quatro meses dos 2 anos… as birras

Tal como se previa, as birrinhas por tudo e por nada já chegaram a esta santa casa. Outra coisa não seria sequer de esperar de uma criança com tanta atitude, muita inteligência, extremamente atenta, observadora e destemida. É assim a minha filha. Parece não ter medo de nada, ou de quase nada, com excepção de… estranhos,…

Quando a paciência (quase) se esgota. O que fazemos?

Culpado. Assumo-o sem quaisquer rodeios ou eufemismos para mascarar a minha incapacidade. Há dias assim. Em que a paciência se vai. Esvanece-se. Some-se. Para onde é que não consigo bem perceber. Mas vai-se e esvai-se. Perde-se algures pelo meio do caminho vertiginoso que compõe o crescimento saudável de uma criança. E depois fica a culpa. Mas…

Quando eles vêm mordidos para casa. O que há a fazer?

(Este texto foi escrito a quatro mãos) Pois é. Está a acontecer. Aliás. Para que tenham uma ideia, em mais ou menos 2 meses aconteceu quatro vezes, ou seja, em mais ou menos dois meses a Leonor trouxe 4 dentadas bem marcadinhas para casa. Sim. É terrível. É doloroso. Parece que nos morderam a nós….

Amor de pai também é único, se é, minha querida filha

Está a crescer. Está a crescer tremenda e exponencialmente. Está a crescer de de uma forma que me esmaga e me faz engasgar quando nela penso, quando nela falo, ou quando simplesmente não estou a fazer nenhuma das coisas. Este sentimento cresce proporcionalmente à razão de tantos sentimentos novos descobertos na vertigem de cada dia…

O balanço de 3 meses… escrito por 4 mãos

Ora vamos então tentar aqui fazer um resumo resumido daquilo que foram estes 97 dias da nossa bebé. Como não temos tempo para chamar a imprensa cá a casa, e como somos os 2… jornalistas, resolvemos fazer o seguinte: A mamã entrevistou o papá e o papá entrevistou a mamã. E depois misturámos tudo, com…

A “inveja” do papá

Pode até parecer uma parvoíce ou mesmo um sentimento menor, mas estou certo que não serei certamente o único a senti-lo, a pensá-lo, a escrevê-lo: tenho inveja da minha mulher! É isto. Tenho mesmo. Tenho, porque ao contrário dela, eu não sinto nada! Nem um ai. E a danada da miúda nem sequer ao menos…

A “inveja” do papá

Pode até parecer uma parvoíce ou mesmo um sentimento menor, mas estou certo que não serei certamente o único a senti-lo, a pensá-lo, a escrevê-lo: tenho inveja da minha mulher! É isto. Tenho mesmo. Tenho, porque ao contrário dela, eu não sinto nada! Nem um ai. E a danada da miúda nem sequer ao menos…

Já vamos a meio… E já começa a ficar difícil olhar para os pés!!  2️0️ semanas da nossa princesa!! =)